Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Seamus Heaney

por Carlos Pereira \foleirices, em 06.03.09



O FRAGMENTO


"Veio a luz do oriente", cantava ele,

"radiosa garantia de Deus, e as ondas aquietaram-se.

Eu podia ver línguas de terra e rochedos acossados.

Muitas vezes, pela coragem mostrada, o fado poupa o homem

se não o marcou já."


E quando a objecção deles lhe foi dita -

em especial que a sua obra se fizera em fragmentos,

que já não podiam dizer onde estavam com ele,

que já não distinguiam primeira linha ou última linha -

respondeu com uma questão.

"Desde quando", perguntou,

a primeira e a última linha de qualquer poema

são onde o poema principia e termina?"


Poema de Seamus Heaney traduzido por Vasco Graça Moura

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:06


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog




Links

Outras Foleirices

Comunicação Social

Lugares de culto e cultura

Dicionários

Mapas

Editoras

FUNDAÇÕES

Revistas