Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



#2253 - CANÇÃO DE VIAGEM NO RIO CHIKUMA

por Carlos Pereira \foleirices, em 31.03.17

 SHIMAZAKI TÓSON (1872-1943)

 

CANÇÃO DE VIAGEM NO RIO CHIKUMA

 

Ontem foi outra vez assim,

Também hoje será assim,

Para quê tanta agitação nesta vida,

Sempre ansiosos pelo dia de amanhã?

 

Muitas vezes desci ao vale

Onde se detém o sonho do crescimento e do declínio

E vi as ondas do rio hesitantes,

Água cheia de areia que enrola e regressa.

 

Ah! A velha mansão - que diz ela?

A ondulação na margem - o que responde?

Em silêncio pensa no tempo que passou,

Cem anos como se fosse ontem.

 

Os salgueiros do Rio Chikuma crescem frágeis:

A Primavera frívola, a água afastando-se.

Sozinho vagueio entre as rochas.

E a esta margem prendo os meus cuidados.

 

Poema do poeta japonês Shimazaki Tóson

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:21


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog




Links

Outras Foleirices

Comunicação Social

Lugares de culto e cultura

Dicionários

Mapas

Editoras

FUNDAÇÕES

Revistas