Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



#2729 - Não há nada como um bom charuto

por Carlos Pereira \foleirices, em 18.12.17

NÃO HÁ NADA COMO UM BOM CHARUTO

 

O mar está calmo esta noite

como um colchão,

e o espaço interior habitado

isso sabemos

com certeza, a

uma mesa com

uma toalha de jornal

completo com cabeçalhos que encabeçam

um bem-vindo à tua vida

a observar os poemas

a passar os olhos como carros

ou palavras que são o mesmo

 

Descontrai-te dizem as árvores empolando-se

na sua inocência,

Descontrai-te dizem os pirilampos, descontrai-te

Descontrai-te

o momento chegará,

as árvores aplaudem.

 

Poema de Larry Sawyer

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:53


#2728 - Atravessando o Deserto Sonâmbulo

por Carlos Pereira \foleirices, em 18.12.17

 

ATRAVESSANDO O DESERTO SONÂMBULO

 

Despe as tuas roupas e deixa-as numa longa cobra

Atrás de ti como as estrelas caem sobre ti no céu

 

Qualquer coisa te segue e se suspende do teu respirar cansado

E resmungas qualquer coisa que tropeça na tua boca

 

Ergues uma oração que paira sobre ti como uma nuvem

Enquanto a tua pele nua reflecte as paisagens do teu suor

 

Despe as tuas roupas e deixa-as numa longa cobra

Atrás de ti como as estrelas caem sobre ti no céu

 

Desejas acordar e isso é o desejo que

Não acerta na tua cara para ir repousar nas cicatrizes das dunas

 

Para onde quer que olhes vês o teu próprio corpo

E o som do proprietário dos ossos

 

Ali a caminhar onde o fogo estava

A respirar hesitantemente estas palavras

 

Poema de Larry Sawyer, poeta americano

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:35


#2717 - PARA EDWARD MUNCH

por Carlos Pereira \foleirices, em 12.12.17

 LARRY SAWYER

 

 

PARA EDWARD MUNCH

 

Os gritos dos montes

estão inchados de sentido

enquanto a boca se enche

com a cor azul

que gela o céu

e rouba a frieza

pelo sangue ardente

ou será que isso não funciona

esta manhã

à hora do costume

como se nos pudéssemos atrasar

para a noite que chega

através da pele

entrando pelos poros

horas de halogéneo irradiando

o seu sentido

como um coração a bater,

algumas nuvens nervosas, um

Inverno.

 

Poema de Larry Sawyer

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:36


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

BERTRAND - SUGESTÃO DE LIVROS E LEITURAS

20% a 50% IMEDIATO em todos os livros - Instagram Post 25-26/03

#LERÉPODER 2020 - Large Billboard


O Mundo na Mão - Large Billboard



Links

Outras Foleirices

Comunicação Social

Lugares de culto e cultura

Dicionários

Mapas

Editoras

FUNDAÇÕES

Revistas