Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



IMAGINARIUS

por Carlos Pereira \foleirices, em 27.05.09


COMPANHIAS

GRUPO PUJA!
grupo puja! argentina
‘do-do land’
estreia nacional

Criado na Argentina em 1998 e sediado em Espanha desde 2002, o Grupo PUJA! fez das intervenções nos espaços urbanos e da junção de várias disciplinas a especificidade da sua identidade. Não é, portanto, em vão que esta companhia utiliza tanto a linguagem do teatro, como do circo, a dança, os desportos de altura, a arquitectura, a engenharia, os recursos multimédia e a música ao vivo.


No País de Carroll, Alice é a única excêntrica porque não cumpre a regra geral. “É a corda, é um país de loucos”.


Do-Do Land
é um espectáculo aéreo que conjuga efeitos visuais, música e imagens. Baseado nos mundos de L. Carroll, utiliza Alice como um símbolo e um pretexto para criar um espectáculo que nos ajuda a falar do Mundo às Avessas, de outras maneiras de ver a realidade.


O Mundo das Maravilhas como um mundo de sonhos onde a abstracção e a magia nos provocam emoções que nos são difíceis encontrar no dia-a-dia. Uma sucessão de imagens inspiradas num Mundo onírico.

 

E, por esta ocasião, o Mundo das Maravilhas está sobre as nossas cabeças……


KUMPANIA  ALGAZARRA
kumpania algazarra portugal
‘concerto final’

A música saiu à rua num dia assim, quase igual aos outros, no ano de 2004, em Sintra. Em jeito de brigada anti-rotina, enfeitiçados pela musa da festividade permanente, num diálogo empolgado entre música e animação, por onde quer que passassem, estava dado o mote para a dança e espalhava-se a boa disposição.


A semente plantada na rua começou a dar frutos em forma de contrabaixo e outros instrumentos que levaram a banda aos palcos. Editaram a EP em 2005, e com ela deram os primeiros passos rumo à internacionalização, marcando presença em festivais em Espanha e aventurando-se numa tournée na Eslovénia.


No seu percurso de actuações, contam também com prestações musicais que derivam do seu posicionamento interventivo, nomeadamente em iniciativas anti-guerra, causas socioculturais e artísticas ou de solidariedade com as comunidades imigrantes.


Em 2007, a par da intensificação da agenda de concertos, surgem convites e oportunidades para actuar em palco com outros projectos musicais como Terrakota, Blasted Mechanism e Tucanas.
Mas ainda houve espaço na agenda para se dedicarem à gravação do primeiro álbum de originais.
2008 começou em beleza, com o lançamento do álbum Kumpania Algazarra que serve de registo à longa travessia por ruas, jardins, praças, becos, palcos, espaços alternativos e festas improvisadas.
Música nómada, multilinguística e universal.


No baú das influências vamos encontrar as mais diversas sonoridades musicais: furor balcânico, deambulações árabes, calores latinos e requintes de afro-beat, explosões de turbofolk e ska. O resultado é um concentrado energético e contagiante, obtido através de um processo de fusão original.


As letras convidam à reflexão sobre o estado desumano do mundo e incitam à libertação do indivíduo, rumo a si mesmo.


Um projecto musical que acrescenta algo de novo à world music feita em Portugal, capaz de suprimir fronteiras geográficas e etárias.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:02


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog




Links

Outras Foleirices

Comunicação Social

Lugares de culto e cultura

Dicionários

Mapas

Editoras

FUNDAÇÕES

Revistas