Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



#818 - Livros

por Carlos Pereira \foleirices, em 22.06.09


Livro de poemas de José-Alberto Marques "LOENDRO" editado pela Editora Átrio em 1991.


O Loureiro-rosa


Rosa-loura


E canta-se que um dia era a tua boca uma concha, um

vidro de metal cheio de melodia e esponjas encontrado

no loesse, ao lado dos detritos e do vento passado,

assim uma forma de raio ou cometa, latejante no

caudal do núcleo onde se abrigava o sono interminável,

eu disse dessa fonte o canto, o amarelo, a cor

própria de deixar as mãos ao poente enquanto partia

para  o teu silêncio e para a tua ausência, e eis a

despedir-me à beira do sol, junto das pedras, por dentro,

com uma cicatriz,

com sabor, saborosamente viajando a morte e o seu

espanto, abrindo portas e janelas, numa visita ao

espelho e à memória, descendo ruas, o peito ao longo

das avenidas, das cidades noturnas, das navalhas

cintilantes, do revérbero das lâminas, com o pullover

e a língua, Dusseldorf, Marselha, a fonte verde,

correndo,

senta-se na Índia uma e outra e outra alvéola sobre

a árvore de folha perene, aos bandos, como em baixo

lofíneos desenham circunferências molhadas e

é pela tarde que a neblina insinua e o corpo estremece,

ah os frutos maduros de

quem rasga a pele do animal ferido, recoberto de

feltro, cravado de ferros junto a

a loucura navegando

as águas de mágoas em

as súbitas

as margens de

o loendro

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:16


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog




Links

Outras Foleirices

Comunicação Social

Lugares de culto e cultura

Dicionários

Mapas

Editoras

FUNDAÇÕES

Revistas