Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Crónica de Ferreira Fernandes

por Carlos Pereira \foleirices, em 19.11.08

Manuela Ferreira Leite disse: "E até não sei se a certa altura não seria bom haver seis meses sem democracia, mete-se tudo na ordem e depois então venha a democracia." Disse? Disse. É grave? Não me parece. Sabem porquê? Por causa daquele "E" com que começa a frase. É copulativo. Garante que o que vem a seguir une, copula, faz truca-truca, junta com alguma coisa que vem de trás. Houve frase de Manuela Ferreira Leite antes da frase escandalosa. Frase que, certamente, explica a tal frase. Ela, certamente, disse qualquer coisa antes para prosseguir depois: "E até não sei se..." Só pode. Noutras circunstâncias eu teria ido procurar a frase anterior para ver se a ironia era conseguida. Mas irrompeu por aí um tal vendaval de indignações que não fui tirar a coisa a limpo. Tenho horror a manadas, sobretudo quando empurradas. Manuela Ferreira Leite tem todo o direito em achar os portugueses inteligentes para entenderem uma ironia. Pelos vistos, é um risco. Mas eu prefiro frases que parecem ser o que não são a indignações que são exactamente aquilo que parecem. Manuela Ferreira Leite não disse, não quer, não sugeriu suspender a democracia.| 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:08


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog




Links

Outras Foleirices

Comunicação Social

Lugares de culto e cultura

Dicionários

Mapas

Editoras

FUNDAÇÕES

Revistas