Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




leitura de outros blogs

por Carlos Pereira \foleirices, em 24.10.08

QUANDO O DESEJO ESCORRE

 

 

Do desejo é dito correr para o mar como água de rio. Liberdade fingida pelas margens que o contêm. Necessariamente. Inevitavelmente. A vontade submissa ao imperativo obscuro da química(?), do sangue. Como se cada um agisse sob ditado inconsciente do qual pouco sabe, mas sente a fervura nas veias. E, na dança lenta dos gestos, no escorrer do desejo fluidificado por um no outro, nos dois pelos dois, nos lábios e olhos acorrentados, o tempo esvai-se. Enquanto as bocas peregrinam, meticulosamente, no corpo que, não sendo nosso, é.

 

Post retirado do blog "Sem Pénis, Nem Inveja" e escrito por Teresa C.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:43


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog




Links

Outras Foleirices

Comunicação Social

Lugares de culto e cultura

Dicionários

Mapas

Editoras

FUNDAÇÕES

Revistas