Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




#3115 -POEMA DE AMOR ||| POEMA DE RUY CINATTI

por Carlos Pereira \foleirices, em 26.05.20

Ruy Cinatti 

Nascimento8 de março de 1915, Londres, Reino Unido
Falecimento12 de outubro de 1986, Lisboa

 

 

POEMA DE AMOR

 

Os segredos de amor têm profundezas difíceis de alcançar,

tal como a chuva que hoje cai e nos molha na calçada a face,

nós olhando triste uma saudade imensa

num corpo de mulher metamorfoseada.

 

Sou demasiado são para me esquecer

do tempo apaixonado que vivi nos teus braços

e bebo no teu um coração meu

adormecido no mar do meu cansaço

ou no rio das minhas secas lágrimas.

 

Tardará muito, se é que as horas contam,

ver-te, de novo, perto de mim, longe,

mas eu espero, sou paciente e, no meu canhenho, aponto,

um dia a menos, o da tua chegada.

E assim me fico, rente ao horizonte,

abrigado da chuva numa cabine telefónica,

e ligo para ti - que número? - ninguém responde

do oceano que avança e retrai colinas,

o vulto de um navio, tu na amurada

acenando um lenço, ó minha pomba branca!...

 

Como se tempestade hovesse e um naufrágio de chuva

- as vidraças escorrem, as árvores liquefazem-se... -

escurecendo os teus cabelos,

ou, se preferes, a minha boca neles

carregada de ilhas, de nocturnos perfumes

que ateiam lumes, ó minha idolatrada,

na minh'alma inquieta um outro bater d'asas

ou num jarrdim um leito de flores!...

 

Poema de Ruy Cinatti escrito em Junho de 1977 in "Obra Poética - Volume I" , edição Assírio & Alvim, Outubro de 2016

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:59



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

BERTRAND - SUGESTÃO DE LIVROS E LEITURAS

20% a 50% IMEDIATO em todos os livros - Instagram Post 25-26/03

#LERÉPODER 2020 - Large Billboard


O Mundo na Mão - Large Billboard



Links

Outras Foleirices

Comunicação Social

Lugares de culto e cultura

Dicionários

Mapas

Editoras

FUNDAÇÕES

Revistas