Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




#2942 - MINHA RUA DE INVERNO

por Carlos Pereira \foleirices, em 27.12.18

 

É fim de tarde na minha rua de inverno

os pardais saúdam o agasalho das folhas

dentro de casa faz o tempo que se quiser

primavera verão ou outra estação qualquer

no sofá um livro espreita pela frincha da almofada

o gato espreita o voar de uma borboleta que se perdeu no caminho

o corpo elástico já esticado à espera

o telefone toca não atendo para mim não é eu sei

e os pardais recolhem ao abrigo das folhas das árvores da minha rua de inverno

restos de água de nuvens feridas limpam a alma da rua

a luz pública acende e ilumina pequenos lagos onde brilham estrelas coloridas.

 

É fim de tarde na minha rua

a noite chega montada em camelos como nas histórias de natal

sem ouro incenso ou mirra e a minha rua não tem neons

apenas palavras escritas que explicam o que se faz lá dentro

e dentro das casas que acompanham a minha rua nada sei

apenas especulações sobre silêncios, ruídos que transpiram dor prazer mágoas aconchegos

É noite na minha rua de inverno e a primavera já começa a gatinhar

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:54


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog




Links

Outras Foleirices

Comunicação Social

Lugares de culto e cultura

Dicionários

Mapas

Editoras

FUNDAÇÕES

Revistas