Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




#2362 - ATRÁS DA PÁGINA

por Carlos Pereira \foleirices, em 12.05.17

LUÍS MIGUEL NAVA

(BIOGRAFIA) 

 

ATRÁS DA PÁGINA

 

As mãos no poema, pelas páginas

acima escoam-se os espelhos, a trovoada

vermelha emerge das imagens. A trovoada

redonda. Uma revoada

de espelhos é a alba, há poços nos espelhos

onde a nudez

se precipita, a luz mordendo a água.

 

Do poema vêem-se as trovoadas

imóveis

atrás da página, as imagens,

da alba, as dum rapaz arriando a noite, os astros

a afluirem-lhe aos cabelos. Vêem-se

à tona da trovoada os lenços

caindo  na manhã, com as veias do rapaz

as desta a confundirem-se, depois

os poços da nudez abertos pelos astros.

 

Esse rapaz as suas próprias veias

o amarram à manhã.

Não me olhar ele ateia-me. Pequenos

incêndios, os da abóbada

do poema, arrancam-lhe a nudez.

Está alguém ao poema como a um espelho.

 

POEMA DE LUÍS MIGUEL NAVA, DO LIVRO "POESIA COMPLETA - 1979/1994", EDIÇÃO PUBLICAÇÕES DOM QUIXOTE, MARÇO DE 2002. O LIVRO TEM O PREFÁCIO DE FERNANDO PINTO DO AMARAL E A ORGANIZAÇÃO E POSFÁCIO DE  GASTÃO CRUZ

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:56


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog




Links

Outras Foleirices

Comunicação Social

Lugares de culto e cultura

Dicionários

Mapas

Editoras

FUNDAÇÕES

Revistas