Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Poema Patético

por Carlos Pereira \foleirices, em 16.05.08

Que barulho é esse na escada?

É o amor que está acabando,

é o homem que fechou a porta

e se enforcou na cortina.

 

Que barulho é esse na escada?

É o Guiomar que tapou os olhos

e se assoou com estrondo.

É a lua imóvel sobre os pratos

e os metais que brilham na copa.

 

Que barulho é esse na escada?

É a torneira pingando água,

é o lamento imperceptível

de alguém que perdeu no jogo

enquanto a banda de música

vai baixando, baixando de tom.

 

Que barulho é esse na escada?

É a virgem com um trombone,

a criança com um tambor,

o bispo com uma campainha

e alguém abafando o rumor

que salta de meu coração.

 

Poema de Carlos Drummond de Andrade - Antologia Poética - Relógio ´D'Água, 2007

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 18:49



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog




Links

Outras Foleirices

Comunicação Social

Lugares de culto e cultura

Dicionários

Mapas

Editoras

FUNDAÇÕES

Revistas