Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




#2185 - Epopeia de Guilgamesh (Excerto)

por Carlos Pereira \foleirices, em 03.03.17

Contempla estas muralhas semelhantes a um nó corredio para aves

Considera o poder das suas fundações

Observa a alvenaria vê se em toda a terra

Há algo que lhe possa ser comparado.

Olha o alto da entrada imemorial

Sobe às adarvas pisa-os com o teu pé

Vê o templo de Eana tal ainda é

As paredes exteriores sob a cornija

Cintilam como o fogo

E as interiores são ainda mais belas

Vê com os teus olhos

Toda a muralha de Uruk

E diz se isto não é obra dos Sete Sábios.

 

Poema Sumério escrito no século XXV a.C. e traduzido por Mário Cesariny

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:03



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog




Links

Outras Foleirices

Comunicação Social

Lugares de culto e cultura

Dicionários

Mapas

Editoras

FUNDAÇÕES

Revistas