Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




#2155 - A Genealogia das Palavras

por Carlos Pereira \foleirices, em 08.02.17

CARLOS NEJAR

 

A GENEALOGIA DA PALAVRA

 

 

Minha morte começa a amadurecer e depois

vou comê-la como uma pera, largando o caroço

fora e depois vai vir uma semente com o mesmo

nome que vai crescer e amadurecer. Mas já não

é minha morte - é surpresa da terra apenas - 

descendência de uma morte futura. Depois as

gerações perdem de vista a própria morte que

aparece como fio de água no meio das pedras,

visível a um e outro profeta. Mas nada abalará a 

espécie: a vida também foi vista como um fio de

água no meio das pedras. Só que não se podia

distinguir os fios e as águas que conversavam

entre si, sem preconceito. E até moravam juntos,

vez e outra. Depois minha morte vai amadurecer

de novo, mas não será da mesma natureza. E

aprenderei a falar com o mundo. E o mundo vai

amadurecer como uma pera e depois vai vir uma

semente com o mesmo nome. Porém, já serei 

eterno.

 

POEMA DO POETA BRASILEIRO CARLOS NEJAR, RETIRADO DO LIVRO «OS VIVENTES» - EDIÇAO DA TEXTO EDITORES LTDA - BRASIL PARA A LEYA BRASIL, 2011

  

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:55


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog




Links

Outras Foleirices

Comunicação Social

Lugares de culto e cultura

Dicionários

Mapas

Editoras

FUNDAÇÕES

Revistas