Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




#3129 - Tinha eu 17 ou 18 anos...quando ouvia esta música

por Carlos Pereira \foleirices, em 29.08.20

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:22


#3128 - Waiting for you

por Carlos Pereira \foleirices, em 29.08.20

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:09


#3127 - FEIRA INTERNACIONAL DO LIVRO DE GUADALAJARA

por Carlos Pereira \foleirices, em 29.08.20

LÍDIA JORGE

 

A escritora portuguesa Lídia Jorge vence o Prémio da Feira Internacional do Livro de Guadalajara. É o segundo autor português a ser distinguido com este prémio. O primeiro foi António Lobo Antunes.

 

Lídia Jorge, 74 anos de idade, foi já distinguida com os seguintes prémios:

- Grande Prémio de Literatura dst (2019);

- Prémio Vergílio Ferreira (2015);

- Prémio Luso-Espanhol de Cultura (2014);

- Prémio Internacional de Literatura da Fundação Günter Grass (2006);

- Grande Prémio de Romande da Associação Portuguesa de Escritores (2002);

- Prémio Corrente d'Escritas (2002)

- Prémio Jean Monet de Literatura Europeia (2000);

- Prémio D. Diniz da Casa de Mateus (1998).

 

«O Dia dos Prodígios», de 1989, foi o primeiro livro de Lídia Jorge.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:22


3126 - BODE INSPIRATÓRIO

por Carlos Pereira \foleirices, em 22.08.20

Por acordo entre os autores, os tradutores e a editora, uma parte das receitas líquidas da venda desta obra será entregue ao Serviço Nacional de Saúde.

«Mais de quarenta escritores voluntariaram-se para criar este projecto, trabalhando à vez e criando um capítulo por dia (…)
O projecto já se disseminou internacionalmente, com traduções para italiano, francês, holandês, e agora, inglês.»
[The Guardian]

«Grupo de 40 escritores vai publicar diariamente um novo capítulo de uma história que começa com Mário de Carvalho e termina, no final de abril, com Luísa Costa Gomes (…)
Segundo Ana Margarida de Carvalho, o projeto vai funcionar “como um folhetim à antiga. Um começa e o outro tem que continuar, lendo os anteriores, mas mais apegado ao que o precede. A ideia é cada um ter 24 horas para escrever o capítulo e sair um por dia”.»
[Expresso]

Mário de Carvalho
Inês Pedrosa
Ana Cristina Silva
Ana Luísa Amaral
Patrícia Reis
Ana Bárbara Pedrosa
Cláudia Lucas Chéu
Gabriela Ruivo Trindade
Carlos Campaniço
Afonso Cruz
Jaime Rocha
Hugo Gonçalves
António Ladeira
José Mário Silva
António Jorge Teixeira Serafim
Ana Saragoça
Luís Miguel Rainha
Adélia Carvalho
Cristina Carvalho
Rui Zink
José Fanha
Hugo Mezena
Domingos Lobo
Raquel Ribeiro
Licínia Quitério
Afonso Reis Cabral
Joel Neto
Maria Manuel Viana
Raquel Patriarca
Julieta Monginho
Tiago Salazar
Isabel Rio Novo
Helena Vasconcelos
Tiago Patrício
Ricardo Fonseca Mota
Paulo M Morais
Gonçalo M Tavares
Álvaro Laborinho Lúcio
Rita Ferro
Luís Castro Mendes
Dulce Garcia
Nara Vidal
Valério Romão
Filipa Leal
Norberto Morais
Luísa Costa Gomes

 

FONTE: RELÓGIO D'ÁGUA

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:23


#3125 - CIDADE INFECTA, O NOVO LIVRO DE TERESA VEIGA

por Carlos Pereira \foleirices, em 22.08.20

NOVO ROMANCE DE TERESA VEIGA

Autora três vezes vencedora do Grande Prémio do Conto Camilo Castelo Branco/APE.

Numa pequena cidade do interior, onde a vida segue os trilhos da tradição, a tranquilidade dos moradores é violentamente interrompida pelo assassínio de uma mulher, e as ruas pacatas ganham sombras suspeitas sempre que cai o entardecer. Raquel e Anabela nada teriam em comum, não fossem uma determinação férrea em conduzir a vida familiar e a frequência de um curso de infor­mática. Mas apesar de diametralmente opostos, ou precisamente por isso, os seus traços de carác­ter acendem de imediato a chama da amizade.

Quanto estão prestes a desvendar uma à outra os seus mais inconfessáveis segredos, eis que se abate sobre Oliveira uma nova e devastadora tragédia.

FONTE: EDITORA TINTA-DA-CHINA

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:08


#3124 - QUESTÕES DE SEMÂNTICA

por Carlos Pereira \foleirices, em 22.08.20

"Os que falam de mim dizem  que sou pobre de espírito; talvez nem tenha espírito. Existo como um fruto, um copo de vinho, uma árvore", diz um bobo em "O Tempo Esse Grande Escultor", de Marguerite Yourcenar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:48


#3123 - O QUE É AMAR UM PAÍS

por Carlos Pereira \foleirices, em 14.08.20

José Tolentino Mendonça, poeta e sacerdote, explica que o tempo atual representa também uma oportunidade para nos reencontrarmos. Confinados a um isolamento, compreendemos talvez melhor o que significa ser - e ser de forma radical - uma comunidade.

Neste pequeno volume reúnem-se três temas essenciais para a atualidade portuguesa: 1) o que é amar um país; 2) qual o sentido da palavra «esperança» em tempos de pandemia; e 3) de que forma a beleza, a graça e a fé podem combater a solidão e a calamidade do nosso tempo. O primeiro tema é abordado no discurso de José Tolentino Mendonça (que mereceu vários elogios públicos) nas cerimónias do Dia de Portugal a 10 de junho de 2020, aqui publicado na íntegra.

O segundo tema está na origem de um texto intitulado «O Poder da Esperança», publicado originalmente no início da pandemia, e onde se viaja pelo meio dos clássicos, da filosofia, da teologia e da poesia - como experiências da catástrofe e da terapia de resposta.

Finalmente, o livro encerra com onze textos dispersos que prolongam a leitura dos livros anteriores de José Tolentino Mendonça em torno da necessidade da beleza e contemplação em tempos de solidão, imprevisibilidade e dor extrema. Trata-se de um livro de grande urgência - que diz respeito a todos, crentes e não crentes. Sobretudo, a todos os portugueses.

«E bem precisávamos de um homem do humanismo e, portanto, da cultura, de um pensador, de um escritor, de um poeta para nos falar da importância dos outros e da sua redescoberta, a começar nas famílias, nas vizinhanças, nas amizades, da atenção aos mais pobres, vulneráveis e dependentes, do pacto entre gerações, tentando ultrapassar o abismo já cavado entre os mais e os menos jovens.»
Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, sobre o discurso do Cardeal Tolentino Mendonça.

O que É Amar um País. O Poder da Esperança.
ISBN: 9789897227097Ano de edição ou reimpressão: 08-2020Editor: Quetzal EditoresIdioma: PortuguêsDimensões: 126 x 196 x 11 mmEncadernação: Capa molePáginas: 136Tipo de Produto: LivroClassificação Temática: Livros  >  Livros em Português  >  Literatura  >  Outras Formas Literárias
 
FONTE: 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:59


#3122 - "REGRESSO A CASA", O NOVO LIVRO DE JOSÉ LUÍS PEIXOTO

por Carlos Pereira \foleirices, em 14.08.20

Intimidade, confissões, família, memória e pacificação: assim é o novo livro de poemas de José Luís Peixoto.

O novo livro de José Luís Peixoto fala-nos das quatro paredes de uma casa - e de todas as suas recordações em tempo de pandemia. Evoca a solidão, o isolamento, as portas fechadas, mas também a solidariedade das recordações: a mãe, o pai, os aromas, a família, a aldeia, o amor. Há espaço para a recordação da infância como para a peregrinação pelo mundo inteiro, como um Ulisses em viagem perpétua, rodeado de objetos próximos e voltado para dentro, para o lugar onde se regressa sempre: a casa.

«As estantes são ruas. Os livros são casas onde podemos entrar ou que podemos imaginar a partir de fora. Há livros que visitámos e há livros onde vivemos durante certas idades, conhecemos cada uma das suas divisões, trancámo-nos por dentro.
Fomos jovens durante tantos capítulos mas, de repente, um dia, apercebemo-nos de que restavam cada vez menos páginas entre o polegar e o indicador.»

CRÍTICAS DE IMPRENSA
«A poesia de José Luís Peixoto está voltada para o dia a dia, para o nosso real e para a sua disponibilidade, que é onde apenas as coisas são encontradas.»
Fernando Guimarães, Jornal de Letras
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:48


#3121 - O NOVO LIVRO DE MÁRIO DE CARVALHO

por Carlos Pereira \foleirices, em 14.08.20

Porto Editora lança Epítome de pecados e tentações, o novo livro de Mário de Carvalho. Numa prosa depurada, aquela que é uma das vozes mais importantes da nossa literatura contemporânea regressa à novela e ao conto, assinando um livro de pecados que pedem total absolvição.


Fascínios, inquietações e sobressaltos nas relações entre homens e mulheres. Como elas veem os homens. Como eles tantas vezes, as mais das vezes, se enganam. Os amores juvenis e os amores tardios. As tentações a pedirem transgressão e os pecados, veniais, sempre à espreita por entre olhares que se adivinham e jogos que se desvendam. Tudo isto e muito mais pode ser encontrado ao longo destas páginas.

«Passada a festa, esquece-se o santo!»
Mário de Carvalho

SOBRE O AUTOR

Nasceu em Lisboa em 1944. Licenciou-se em Direito e viu o serviço militar interrompido pela prisão. Desde muito cedo ligado aos meios da resistência contra o salazarismo, foi condenado a dois anos de cadeia, tendo de se exilar após cumprir a maior parte da pena. Depois da Revolução dos Cravos, em que se envolveu intensamente, exerceu advocacia em Lisboa. O seu primeiro livro, Contos da Sétima Esfera, causou surpresa pelo inesperado da abordagem ficcional e pela peculiar atmosfera, entre o maravilhoso e o fantástico.
Desde então, tem praticado diversos géneros literários – Romance, Novela, Conto, Ensaio e Teatro –, percorrendo várias épocas e ambientes, sempre em edições sucessivas. Utiliza uma multiforme mudança de registos, que tanto pode moldar uma narrativa histórica como um romance de atualidade; um tema dolente e sombrio como uma sátira viva e certeira; uma escrita cadenciada e medida como a pulsão de uma prosa endiabrada e surpreendente.
Nas diversas modalidades de Romance, Conto e Teatro, foram-lhe atribuídos os prémios literários mais prestigiados (designadamente os Grandes Prémios de Romance e Novela, Conto e Teatro da APE, prémios do Pen Clube Português e o prémio internacional Pégaso de Literatura). Em junho deste ano foi distinguido com o Grande Prémio de Crónica e Dispersos Literários, da Associação Portuguesa de Escritores, pela obra O que ouvi na barrica das maçãs.
Os seus livros encontram-se traduzidos em várias línguas. Obras como Os Alferes, A Inaudita Guerra da Avenida Gago Coutinho, Um Deus Passeando pela Brisa da Tarde, O Varandim seguido de Ocaso em Carvangel, A Liberdade de Pátio ou Ronda das Mil Belas em Frol são a comprovação dessa extrema versatilidade.

NOTÍCIA RETIRADA DO SITE DA PORTO EDITORA

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:24


#3120 - Relógio D'Àgua, Editores - Novos Livros

por Carlos Pereira \foleirices, em 14.08.20

 

Planeamento Editorial

Programação Editorial de Agosto a Dezembro (não exaustiva)

Agosto
1 — Os Teus Passos nas Escadas, de Antonio Muñoz Molina
2 — Primeiros Contos e Outros Contos, de Agustina Bessa-Luís (Prefácio de Mónica Baldaque)
3 — Do Desaparecimento dos Rituais, de Byung-Chul Han
4 — A Ladra de Fruta, de Peter Handke (Prémio Nobel da Literatura 2019)
5 — Notre-Dame de Paris, de Victor Hugo
6 — Mulheres Invisíveis, de Caroline Criado-Perez (Vencedor do Royal Society Science Book Prize 2019 e do Financial Times and McKinsey Business Book of the Year Award 2019)
7 — O Que Move o Silêncio do Cavalo, de Maria Andresen
8 — Como a Água Que Corre, de Marguerite Yourcenar
9 — A Sociedade Paliativa, de Byung-Chul Han

Setembro
1 — A Vida Mentirosa dos Adultos, de Elena Ferrante
2 — A Era do Capitalismo da Vigilância, de Shoshana Zuboff
3 — O Mundo de Ortov, de Jaime Rocha
4 — O Tempo Indomado, de José Gil
5 — Uma Viagem à Índia, de Gonçalo M. Tavares
6 — A Prima do Campo e a Coisa Pública, de Alexandre Andrade
7 — A Escola de Topeka, de Ben Lerner
8 — Esse Cabelo, de Djaimilia Pereira de Almeida (Reedição)
9 — O Osso do Meio, de Gonçalo M. Tavares
10 — Duna, de Frank Herbert

Outubro
1 — A Minha Luta: O Fim, de Karl Ove Knausgård
2 — A Quinta dos Animais: O Romance Gráfico, de George Orwell (Adaptado e Ilustrado por Odyr)
3 — Fogos, de Marguerite Yourcenar
4 — A Ciência de Interstellar, de Kip Thorne
5 — A Noite das Barricadas, de H. G. Cancela
6 — Sapatos de Corda, de Mónica Baldaque
7 — Peregrino e Estrangeiro: Ensaios, de Marguerite Yourcenar
8 — EstojoPoesia Édita e Inédita, de Miguel-Manso
9 — Mary Ventura e o Nono Reino, de Sylvia Plath
10 — O Sítio do Lugar Nenhum, de Norberto Morais
11 — Reino Transcendente, de Yaa Gyasi
12 — A Muralha, de Agustina Bessa-Luís
13 — O Almanaque do Céu e da Terra, de Cristina Carvalho

Novembro
1 — The Memory Police, de Yoko Ogawa (finalista Man Booker International Prize 2020)
2 — Canoagem, de Joaquim Manuel Magalhães
3 — A Noite do Morava, de Peter Handke (Premio Nobel da Literatura 2019)
4 — Alexis ou Tratado do Vão Combate, de Marguerite Yourcenar
5 — A Ascensão do Dinheiro, de Niall Ferguson
6 — O Príncipe, de Nicolau Maquiavel (Prefácio de Isaiah Berlin)
7 — Correspondência entre Agustina Bessa-Luís e Juan Rodolfo Wilcock (Prefácio de Ernesto Montequin)
8 — Mr Salary, de Sally Rooney
9 — O Problema dos Três Corpos, de Liu Cixin
10 — Livro de Gonçalo M. Tavares, com desenhos de Julião Sarmento

Dezembro
1 — Trilogia da Cidade de K., de Agota Kristof
2 — A Guerra do Mundo, de Niall Ferguson
3 — Rodeado de Ilha, de João Miguel Fernandes Jorge
4 — Os Invisíveis, de Roy Jacobsen (finalista Man Booker International Prize 2017)

 

Informação retirada do site RELÓGIO D'ÁGUA,  EDITORES

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:55


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

BERTRAND - SUGESTÃO DE LIVROS E LEITURAS

20% a 50% IMEDIATO em todos os livros - Instagram Post 25-26/03

#LERÉPODER 2020 - Large Billboard


O Mundo na Mão - Large Billboard



Links

Outras Foleirices

Comunicação Social

Lugares de culto e cultura

Dicionários

Mapas

Editoras

FUNDAÇÕES

Revistas