Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




IMAGINARIUS

por Carlos Pereira \foleirices, em 27.05.09


COMPANHIAS

Texturas
pele - espaço de contacto social e cultural portugal
co-produção cctar
texturas criação imaginarius
‘teatro comunitário’
‘percursos guiados - exposição fotografia e instalação vídeo’
‘conversar o processo’


Ponto de partida - a cortiça - elemento unificador das comunidades locais. Elemento comum às diferentes gerações do grupo de vinte intérpretes dos 13 aos 72 anos, presente directa ou indirectamente nos seus quotidianos. A base deste projecto assenta no colectivo, na activação de memórias, no fortalecimento de dinâmicas comunitárias, na pesquisa de rotinas e costumes locais, na visita de espaços, no cruzamento histórias de vida.  Desta forma chega-se à construção colectiva deste projecto que conta com o envolvimento de mais de 250 pessoas, através de vivências artísticas diversificadas (teatro, música, fotografia, vídeo e desenho).
 
“Texturas”
propõe uma viagem nas curvas do que somos tendo como pano de fundo vidas e histórias de três gerações de uma terra real. Num espaço que evoca memórias comuns - uma fábrica de cortiça - procuramos sentidos para o trabalho árduo de transformar a pele do sobreiro. Homens, meninas, velhos, mulheres, meninos, velhas encontram-se num espaço frio, mecânico e pesado para nos contarem as suas histórias e experiências de vida.
“Texturas” espelha reinícios, procuras, fragilidades, encon-tros, fugas e deslumbramentos com a condição humana. Nas diferentes texturas desta cortiça encontram-se novas formas de estar e comunicar.
Este é um projecto de arte comunitária que cruza várias linguagens, procurando unir três pontos geográfico-artísticos de um triângulo, próximos mas distantes, através de percursos guiados entre a fábrica da cortiça em Mozelos - espectáculo, o museu de Santa Maria de Lamas - instalação vídeo e a Casa da Cultura de Lourosa - exposição de fotografia.
“Texturas” procura homenagear e celebrar a leveza, a im-permeabilidade, a aderência, a elasticidade e a resistência da cortiça integrando-as como potencialidades nos quotidianos relacionais desta gente e desta terra.


Ficha Técnica e Artística

Interpretação
Carlos Valente · Celeste Silva · Constança Rodrigues · Diana Rodrigues · Fernanda Tavares · Gracinda Ferreira · Joaquim Amorim · José Santos · Juliana Alves · Manuel Magalhães · Margarida Teixeira · Maria Armanda Alves · Maria Bolena Mendes · Marina Sá · Miguel Marques · Nuno Almei-da · Rosa Marques · Sofia Ribas · Sónia Medas.
Rancho Folcolórico “Os Cortiçeiros de Lourosa” · António Silva [manipulação de máquinas] · Alberto J. Tavares [corte do sobreiro] · Rodrigo Malvar [clarinete]


Criação Colectiva

Concepção e Direcção: Hugo Cruz
Apoio à Direcção: Rodrigo Malvar
Direcção Musical: Artur Carvalho
Desenho de Luz: Rui Barbosa · Luís Ternus · Flávio Freitas
Vídeo: Pedro Azevedo · Paulo Castilho
Figurinos: Grupos de Mulheres das Freguesias de Sanguedo e Caldas de S. Jorge
Adereços: Alberto J. Tavares - Cortiças Lda.
Registo Fotográfico: Paula Preto
Apoio na Recolha de Imagens: “Imagens da Minha Vida” - Câmara Municipal de Santa Maria da Feira
Construção da Sinalética: Augusto Fontes
Guias Percurso: Virgínia Pereira · César Tavares · José Carlos
Criação Desenhos: Cercilamas · Obra do Frei Gil · Agência Local em Prol do Emprego · Oficina de Ideias · Centro Social de Lourosa · Associação Pelo Prazer de Viver · Associação Bem-Estar de Santa Maria de Lamas · Serviço Educativo do Museu de Santa Maria de Lamas · Nuclisol
Produção Executiva: Maria João Mota · Hugo Cruz
Co-produção: PELE - Espaço de Contacto Social e Cultural · Centro de Criação para o Teatro e Artes de Rua · Imaginarius - Festival Internacional de Teatro de Rua de Santa Maria da Feira

Agradecimentos:
A todos os que de uma forma totalmente generosa contribuiram com as suas fotografias, desenhos e histórias de vida para a realização deste projecto. Alberto J. Tavares e a todos os trabalhadores da Fábrica AJT pela forma disponível como nos receberam desde o primeiro momento deste projecto. Virgínia Pereira pelo “abrir de portas”, Susana Ferreira, Ana Ramos, Marta Carvalho, Daniel Moreira, José Carlos, Carlos Silva, José Soares Albergaria, Teatro do Frio, APCOR, Ready Mind, Bombeiros Voluntários de Lourosa, Junta de Freguesia de Santa Maria de Lamas, Centro Cultural do Cartaxo, ESMAE-IPP, Centro Cultural Vila das Aves, Museu da Cortiça Fábrica do Inglês, Hospital de S. Sebastião, Charterbus, Grupo Amorim, Rivoli - Teatro Municipal
     

Pele - Espaço de Contacto Social e Cultural

É uma associação sem fins lucrativos que tem como objecto central a promoção do desenvolvimento humano e social através da intervenção pela arte.


Nota:
Todas as rolhas utilizadas neste projecto são resultado de uma selecção de rolhas usadas que no final do projecto serão recicladas.


Clube dAlegria

clube d'alegria - associação de alcoólicos recuperados de smf portugal
histórias do monstro borralhão, com e sem garrafão’

A peça “Histórias do Monstro Borralhão, com e sem garrafão” centra-se numa personagem dependente do álcool e com espírito destruidor, que se regenera através das artes circenses, da música e de outras formas de expressão, divulgando por onde passava a mensagem de luta contra a dependência do álcool.


O texto foi, a pedido da técnica de serviço social responsável pelo espaço de prevenção primária destinado a estas crianças, elaborado pela Prof. Gracinda Coelho de Sousa, que recolheu as ideias centrais das crianças com o objectivo primordial de criar equilíbrios interiores, de modo a que as crianças pudessem gerir as emoções e descompensações, fruto de marcas que o alcoolismo deixou nas suas vidas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:05



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog




Links

Outras Foleirices

Comunicação Social

Lugares de culto e cultura

Dicionários

Mapas

Editoras

FUNDAÇÕES

Revistas