Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Peter Hartling

por Carlos Pereira \foleirices, em 01.03.09


Trindade Lisboa

 

Não Pessoa no claustro -

a pedra,

a pedra tumular

cheira a café:

Daquilo que fingimos

é que vivemos.

Já momentos antes

o senhor no elevador

para a parte alta da cidade:

Álvaro de Campos

ou

a filigrana de uma frase

esquecida

e também, como é óbvio,

Alberto Caeiro

passando no eléctrico

que ao domingo

de preferência

se perde.

Muitas vezes se encontram estes senhores

com o sol africano

que lisonjeia as fachadas

e chamam-se

- já diluídos

em frases idiomáticas -:

Ricardo Reis:

"Mestre como são realmente

felizes as horas

que perdemos."

 

Poema de Peter Hartling traduzido por Maria Teresa Dias Furtado

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:31



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog




Links

Outras Foleirices

Comunicação Social

Lugares de culto e cultura

Dicionários

Mapas

Editoras

FUNDAÇÕES

Revistas