Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Henri Régnier

por Carlos Pereira \foleirices, em 27.11.08

E passáveis a sorrir

E dizíeis ele é hábil...

E passáveis a sorrir.

Mas naquele momento nenhum de vós viu

Que as minhas mãos tremiam de ternura

Que todo o grande sonho terrestre

Vivia em mim para viver neles

Que eu gravava em metais piedosos os meus deuses.

Que eles eram o rosto vivo do que nós sentimos do mundo

Do vento, da floresta e do mar

De todas as coisas na nossa carne

E que eles são nós, divinamente.

 

Poema de Henri Régnier

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:54


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog




Links

Outras Foleirices

Comunicação Social

Lugares de culto e cultura

Dicionários

Mapas

Editoras

FUNDAÇÕES

Revistas